domingo, 5 de maio de 2013

Little Things - Segunda Temporada - 11° Capítulo

Pesadelo




 Antes que vocês leem este capítulo, preciso que tenham uma mente aberta e concentrada. Quem acompanha, saberá que desde o começo tem um certo alguém que sempre é um obstáculo na vida de Harry e SeuNome. Então coloquem essa cachola pra pensar ok ? Quem não souber, volte para a primeira temporada, tem caps especificos lá. Boa leitura e comentem, por favor :)

Narradora On


No ônibus, durante a viagem, os garotos fizeram uma parada em uma lanchonete. Por causa de quem Niall ? Ele teimou em querer comer um x-burguer de estrada, alegando* ser diferente. Vai entender. Por incrível que pareça, era de madrugada e encontram três fãs deles dentro do local. Com cara de sono, rostos inchados e uma preguiça extrema, colocaram um sorriso no rosto , tiraram e deram autógrafos à elas. Porque mesmo os cinco estando em completa madrugada ali, com uma canseira danada, não tinham nada que os fizesse não dar alegria à quem lhes considerava e idolatrava. One Direction, é uma banda completa, uma banda...diferente.





Reino Unido 


SeuNome e todos da casa de sua família, dormiam tranquilos e profundamente. Com os sonhos completamente longes dali, Eleanor se assustou com um grito de dor. Um grito que reconheceu ser de uma única pessoa na mesma hora. Não tinha dúvidas em que quarto ir correndo. Não se preocupou em vestir um roupão e os chinelos, ou por exemplo, algo parecido. Sua intuição, o seu corpo, só lhe mandava apressada para o local. Pois chegando no mesmo, se deparou com a sua irmã, completamente aterrorizada, com um semblante demonstrando medo. Seu choro era incenssável, seu coração iria explodir no peito. Um pesadelo, e dos fortes, tinha se passado pela tranquila noite de sono na casa dos Calder. Mas na pessoa errada. SeuNome sentiu uma pontada de horror perpassar por si, avistou sua irmã da porta, lhe pedindo ajuda apenas com o olhar. Eleanor não hesitou em se sentar na cama de sua irmã, sentar e a abraçar fortemente. Logo, minutos depois, seus pais chegaram no mesmo instante. Els, os olhando da porta, indiciou que era melhor seu pai pegar um copo de água e sua mãe lhe ajudar a controlar SeuNome. Afinal, que pesadelo foi aquele? Por que o grito? Por que tanto terror? Por que com ela? Por que ?


Cabana 


Xxx: O quê? Mas como assim ? Seu incompetente! Eu te pago pra quê?


Xxx: Desculpe-me, só que não tinha como. Os seguranças estão por toda a extensão da mansão dos Calder. Não tem como entrar no quarto da moça e simplesmente colocar isso lá e sair sem ser visto. Eles também colocaram câmeras por cada canto dos muros e até dentro da própria mansão! Não é assim tão fácil.


Xxx: Eu vou então desgraçado! Mas primeiro, um aviso, da próxima, ou você cumpre o que eu mando, ou eu explodo sua cabeça, tá me ouvindo?


Xxx: Sim.


Xxx: Cuide daqui e peça para que os outros fiquem vigiando ao redor. Não posso pisar em falso. - Dito isso, começou à se arrumar, vestindo uma roupa toda preta, com direito a capuz no rosto, que só mostrasse seus olhos e nariz. Colocou a arma presa na coxa, pegando o "presentinho" que deixaria na mansão dos Calder. Agora ninguém poderia deter sua voracidade, nem sua vingança. Ela iria matar no final, quem? Só quando tudo der certo você irá descobrir. Isso é apenas o seu começo. Ops, a sua volta!


Reino Unido - Centro


SeuNome tomou o comprimido que seu pai lhe trouxe, junto com um gole pequeno de água gelada. Eleanor ficou com sua irmã nos braços, até sentir que se acalmara. Andrew, seu pai, quis que as duas outras mulheres saíssem do quarto, pois quem iria cuidar de SeuNome, era ele. Ele se sentou enconstado na cabeceira, colocou um travesseiro no colo e deitou ali a cabeça de sua filha, acariciando seu cabelos com uma mão e a outra, fazendo carinhos em suas costas.


Você: Pai, por que comigo?


Andrew: O quê filha ? - Seu tom era o mais calmo possível.


Você: Por que eu tenho que passar por isso ?


Andrew: Isso o que ? SeuNome, não reclame de nada, sua vida é ótima.


Você: Não é pai, não tente negar ! - Aumentou seu tom de voz um pouco. - Eu já passei por muitos problemas até agora, eu não queria, eu não quero isso! Ninguém consegue ver que não é culpa minha, parece que tem algum demônio átras de mim, porque nada dá certo !


Andrew: Filha olha pra mim. - Ela fez que não e escondeu o rosto no travesseiro. - Olha, por favor? - Levantou a cabeça e olhou nos olhos de seu pai. - Se sua vida só tem tido problema, esse filho, esse meu neto, que está mal acabando de crescer dentro de você, é um problema? Ter voltado com o Harry, ter ficado noiva, e estar hoje em dia com um casamento só pronto para oficializar é um problema ? Ter amigos que te apoiam em tudo, te consolam, fazem você sorrir mesmo quando não quer, isso é um problema? Ter uma família que conseguiu subir mais um nível para todos, isso é um problema ? Filha, o que você acabou de chamar de demônio, são só pessoas que possuem inveja de você e queriam estar no seu lugar. Ou não, sabe por que ? Porque a vida não é nada sem alguns obstáculos. A gente só tem uma vez, uma chance e uma missão aqui na terra minha princesa, não fique com raiva, não fique triste, não deixe poucas coisas fazer você chorar como hoje. Se tiver mais pesadelos, encontre uma forma de dispensá-los, ao acaso, estarei aqui. Estamos entendidos, minha pequena?


Você: Eu não sei o que seria de mim sem você pai, juro que eu não sei. - Lhe abraçou tão forte que o pescoço de Andrew... Ficaria marcado.


Andrew: Fique calma e tranquila ok ?


Você: Ok, vou tentar.


Andrew: - passando os dedos em seu rosto suavemente. - Não, você vai conseguir. - Deu um beijo em sua testa. - Agora, deite aqui e durma. De mais algum pesadelo, querer entrar dentro dos seus sonhos, acorde, abra os olhos. Estarei aqui tabom ?


Você: Tabom, pai. Obrigada.


Andrew: Só estou fazendo minha obrigação filha.


SeuNome deitou novamente sua cabeça no colo de seu pai, fechou os olhos e tentou dormir, porém, se esqueceu de dizer a famosa frase de três palavras, que possuem um tamanho significado.


Voce: Pai?


Andrew:Sim?


Você: Eu te amo.


Andrew: - sorriu. - Eu também te amo minha princesa.


E assim, SeuNome e Andrew dormiram juntos. Pai e filha. Um sentimento de amor tão grande, um vínculo enorme. Mesmo que todos digam que o amor de mãe é o mais forte, porque é dela que nascemos, o papel de pai, também possui uma importância mais que imensa. A mãe educa. O pai ensina. A mãe troca fralda. O pai busca na escolhinha. A mãe não suporta ficar longe. O pai deixa o bebê fazer o que vier na cabeça. Juntos, pai e mãe, o amor fica maior, a proteção duplica, e ao mesmo tempo cai, o carinho se multiplica, e a educação cresce. É... Amor dos pais não é qualquer um. O amor dado por eles é singular, é destacado, é... Único.






Hey, hey, heeeey! Meu presentinho pra vocês. Sabem a hora que eu fui terminar de escrever esse capítulo e a idéia de completar o que já tinha escrito veio ? Entre ás 04:30 e 05:00 ! Gentee, vocês me deixam doidaaa,kkkk, brinks. Bom, agora não sei quando posto o próximo, porque tem ainda UD e mais uma fic pra entrar de uma outra escritora ! Beijos <3 




17 comentários:

  1. somos duas ta simplesmente/perfeitamente perfeito... *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laaaari, thanks liamda. Vou ver se posto ainda hoje ok? Não prometo nada !

      Beeeijos

      \Izah

      Excluir
  2. Naaaaaao,to amando,mas a nikki de novo naaao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, ela de novo. Continue amando haha :)

      Excluir
  3. Nikki ? Aaaah que chato. mad eu to amando sua fic

    ResponderExcluir
  4. eu adoro eu amo suas fanfics

    ResponderExcluir
  5. nem coloquei o nome
    clari styles

    ResponderExcluir
  6. acho q e a Caroline

    ResponderExcluir
  7. pq vc nao faz um livro tua fic r foooooda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou com projetos para isso amor! Obrigada :D

      Excluir

Gostou do blog? Comente e deixe-me feliz com seu comentário. Só peço por favor que se for fazer críticas, que sejam construtivas e opinativas.Espero que comente mais vezes, é realmente muito importante. Obrigada.